Brincando sério: LEGO® SERIOUS PLAY® no Brasil

LEGO SERIOUS PLAY
LEGO SERIOUS PLAY

As pessoas já acham estranho o uso de LEGO® profissionalmente: Muitos já viram exemplos de LEGO® sendo usado no estudo de espaços por arquitetos, na análise de modelos por engenheiros e diversos outros técnicos. A linha Mindstorms já tem forte penetração na indústria com a prototipação de máquinas e linhas de produção, por exemplo.

Mas e em treinamento de executivos?

Parece brincadeira, mas é sério. Um grupo de executivos senta ao redor de uma mesa e tem à disposição um amontoado de peças de LEGO®. Um facilitador propõe atividades para que os participantes construam modelos com o brinquedo e, a partir daí, realiza análises e reflexões, motiva discussões e os envolve em um processo de autoconhecimento que os leva a transferir esta vivência para realidade corporativa e a melhorar a performance, a comunicação e tomadas de decisões.

A metodologia LEGO® SERIOUS PLAY® (LSP) presente no Brasil pela Smart Play BR (Veja nota ao final do texto), empresa comandada pela empresária Paquisa Mazzola, que nesta entrevista ao LUG Brasil explica um pouco mais sobre a metodologia e como se tornar um facilitador.

LEGO® SERIOUS PLAY®

 

LUG Brasil – Como surgiu a metodologia LEGO SERIOUS PLAY?

Paquisa Mazzola – Ela foi desenvolvida nos anos 90 pelo Grupo LEGO®. Nesta ocasião, a LEGO enfrentava uma grande crise, motivada pela chegada dos jogos eletrônicos e videogames. O então CEO do grupo e neto do fundador, Kjeld Kirk Kristiansen, e dois professores da Universidade IMD em Lausanne, Suíça, estavam em busca de novas ferramentas e sistemas para o desenvolvimento de planejamento estratégico. Foi então que chamaram o diretor de pesquisa e desenvolvimento da divisão LEGO® Education, Robert Rasmussen, para que com sua experiência em desenvolvimento de produtos pudessem criar um método que explorasse o potencial individual dos colaboradores. Com a utilização dos blocos de LEGO e propondo a construção de estruturas tridimensionais, descobriram um método eficiente para despertar a imaginação e a inovação.

 

LUG Brasil – Há quanto tempo existe essa metodologia no Brasil?

Paquisa Mazzola – Em 2013, a Play in Company trouxe ao Brasil a primeira formação de facilitadores da metodologia LEGO SERIOUS PLAY.
Desde então, atuamos no desenvolvimento de workshops e treinamentos com a aplicação da metodologia, apoiando organizações, equipes e pessoas. Além disso, por meio da parceria com a JUEGO SERIO, organizamos e promovemos a formação de novos facilitadores para atuarem com a metodologia LSP.

 

LUG Brasil – Quais são as suas aplicações?

Paquisa Mazzola – A metodologia vem sendo utilizada em diversos países como uma ferramenta eficaz para diferentes propósitos, como na construção e análise de cenários, identificação de problemas e busca de soluções, gestão de conflitos, definição de estratégias e engajamento da equipe para levar corporações a um novo patamar.

Através do que pode ser inicialmente percebido como uma brincadeira, conseguimos criar um clima informal que é favorável para despertar as competências, dificuldades e pontos de vista diferentes dentro das organizações. Como é um contexto simulado, os profissionais se sentem mais seguros para colocar suas ideias e assumir compromissos, construindo estratégias em tempo real.

Durante anos o LEGO ajudou crianças a realizar seus sonhos. Estimular os adultos a usar os blocos para construir suas visões estratégicas para o futuro foi apenas um passo. O LEGO funciona como um atalho, um catalisador para que acessem seus potenciais. Com as peças do brinquedo, conseguem se comunicar melhor, se engajar, fazer questionamentos, ter mais confiança, comprometimento e criatividade.

 

LUG Brasil – Quais tipos de problemas podem ser “resolvidos” com a metodologia LSP?

Paquisa Mazzola – A metodologia LSP pode ser vista como uma caixa de blocos de LEGO, onde cada peça representa uma técnica diferente, que dependendo da situação ou problema a ser resolvido podem ser combinados para alcançar o resultado.

As possibilidades de aplicações são inúmeras, como desenvolvimento de equipes, construção de missão, visão e valores da companhia, desenvolvimento e criação de produtos e serviços, alinhamento de visão do time, área ou organização, desenvolvimento de estratégias e planejamento, análise de cenário atual e futuro para definição e tomadas de decisões, processos de fusão, comunicação interna, processos de recrutamento e seleção, desenvolvimento de liderança, desenvolvimento de competências, laboratórios de inovação e sessões de brainstorming, entre outras.

Um consultor certificado para aplicar o método LSP deve entender muito bem a situação em que a empresa está vivendo e junto com o cliente irão desenvolver uma atividade que irá trabalhar em cima dos aspectos necessários.

 

LUG Brasil – Quais são os resultados obtidos ao se realizar uma atividade com a metodologia LSP?

Paquisa Mazzola – Dizemos que uma atividade com a metodologia LSP provoca mudanças significativas tanto para a pessoa quanto para a organização envolvida. Uma atividade com o uso dessa metodologia proporciona a criação de um grande número de ideias, amplia e clareia a consciência sobre o negócio ou sobre a empresa, proporciona uma visão única e alinhada sobre o problema ou situação trabalhada, possibilita a definição de um plano de ação e ajuda muito nos processos de tomadas de decisões. Além disso, gera um comprometimento e engajamento da equipe em relação ao que foi proposto, pois os participantes tornam-se co-criadores da decisão final.

A materialização de uma ideia em um modelo 3D, com uma riqueza de imagens e conceitos, onde todos colaboraram e enxergam a mesma coisa, faz com que essa ideia seja executada imediatamente e com a colaboração de todos.

 

LUG Brasil – Quanto tempo dura uma atividade com a metodologia LSP?

Paquisa Mazzola – Cada atividade é desenvolvida especialmente para a temática e questão definida pelo cliente. O tempo de duração de uma dinâmica pode levar de 4 a 16 horas, dependendo da complexidade que irá ser trabalhada e do tamanho do grupo que irá participar.

 

LUG Brasil – Você poderia citar alguma empresa que já adotou a metodologia em seus treinamentos ou para outras finalidades?

Paquisa Mazzola – No Brasil, empresas como Cyrela, Otis, Sodexo e Scania já utilizaram a metodologia LEGO SERIOUS PLAY em treinamentos.

 

LUG Brasil – Quem pode se tornar um facilitador?

Paquisa Mazzola – Não há limitações ou padrão, as pessoas que procuram o curso de formação de facilitadores vêm de áreas diversas, desde dentista, arquiteto, designer, até profissionais ligados às áreas de recursos humanos, marketing, inovação, estratégia, como também consultores independentes, coaches e educadores.

 

LUG Brasil – O que é preciso para se tornar um facilitador?

Paquisa Mazzola – Há uma certificação de formação, onde os participantes obtêm os conhecimentos, informações e experiências necessárias para formatar e realizar workshops com o uso da metodologia LSP de acordo com a sua área de atuação e interesse.

 

LUG Brasil – A formação também está disponível no Brasil?

Paquisa Mazzola – Sim! Ainda não há um calendário extenso, mas estamos planejando a próxima turma do curso de formação de facilitadores para julho. O curso será dado por Lucio Margulis, fundador e diretor da consultoria JUEGO SERIO​ e nosso parceiro aqui no Brasil. O Lucio é capacitador de facilitadores e também um facilitador da metodologia LEGO SERIOUS PLAY certificado pelo Grupo LEGO. Ele foi o responsável por trazer a metodologia para os países da América Latina, assim como Espanha, Portugal e Itália.

 

LUG Brasil – O que é possível fazer após a certificação?

Paquisa Mazzola – O novo facilitador pode desenvolver e aplicar workshops e atividades com a metodologia LSP para diferentes aplicações.

 
Nota da redação: A empresa responsável na época da publicação original era a Play in Company